terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

O valor do silêncio



Eu confesso: liguei esse computador, abri a internet e por sua vez o blog por pura revolta. Há alguns minutos atrás eu estava em uma batalha... Sim! Uma batalha com o mundo. E ele dessa vez foi vencedor! Mas vamos aos fatos:

Ler é um dos maiores prazeres da vida, na minha opinião. Pra mim é um prazer maior que o de escrever, inclusive. Escrever, na minha vida, é um ato de expurgação de demônios interiores. É como uma necessidade vital, como comer, beber água ou urinar. Já ler... Ah! Ler é o meu ato de adquirir... E a frase termina aí! Além de ser grande parte do meu trabalho, ler (quando o livro é bom) me dá um tesão na vida indescritível! Lembro de uma frase da Clarice agora (engraçado lembrar logo da Clarice, mas isso eu só vou explicar adiante) que define bem o que é pra mim estar lendo um bom livro: "Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com seu amante" . É como um bom amante mesmo, que te desvenda a alma e te faz a mais feliz das criaturas a cada noite em que vocês se relacionam. É vida, é tesão, é maravilhoso!

Mas vamos voltar à batalha com o mundo?

De um lado eu e meu amante... Ok, eu e meu livro - Água Viva, da Clarice (É, eu começo a estudar nas férias!) com o nosso tesão de nos descobrirmos.

Do outro, o mundo, com o rádio do meu pai ligado, o som do meu vizinho tocando música cubana, os carros passando, as crianças do colégio aqui da rua berrando na hora do recreio, a máquina de lavar do vizinho, as marteladas, vozes, e mais seiláoquê!

Alguém me diz como me livrar de isso tudo? O mundo anda tão caótico hoje em dia que não há mais a possibilidade de se ter o meu tão amado silêncio. Pra que eu consiga isso eu tenho que "rebolar" muito - achar um lugar deserto, uma praia deserta... Ou pedir pro mundo parar, descer dele e ler flutuando no espaço (nossa... que delícia seria!). Às vezes eu queria que aquela corneta paralisadora do Chapollin (Ou do Toicinho, pros Raros que sabem quem é o Toicinho rs) pra parar tudo ao meu redor, ler tudo, pensar tudo, dormir tudo, relaxar tudo o tempo que eu quisesse... E depois deixar o mundo continuar a fluir de onde parou.

Amanhã é o round 2. Vou trocar o cenário da luta e tentar ir pro Parque das Ruínas ler... Que vença o melhor!!

1 comentário:

Luciana Augusta disse...

já ouviu falar de protetor auricular? pois é... já me ajudou em dias em que tive batalhas semelhantes, não é a solução completa, mas tem sua eficiência rsss.
bjs Lu aug